Crytek junta forças com a Oculus para “VR locomotivo”

Por Pedro Zambarda, editor-chefe do Drops de Jogos e da revista Mundo360

A Crytek juntou forças com a Oculus, dona do Rift e parte do Facebook, para desenvolver VR em movimento, diz post em blog oficial. A informação vem de Julius Carter, desenvolvedor de games em realidade virtual que anuncia as novidades.

As inovações estão sendo aplicada aos jogos digitais The Climb e Robinson: The Journey. As principais mudanças, pensando que o Oculus Rift é uma experiência mais estanque em relação ao HTC Vive, estão na rotação da cabeça.

Veja um playlist sobre estes experimentos.


Via RoadtoVR

Compre a revista Mundo360
Acompanhe a Mundo360 no Facebook e no Twitter.

Oculus anuncia tecnologia para displays com vários níveis de foco

Por Renato Bazan, editor da Revista Mundo 360

A Oculus Research, divisão de pesquisa e desenvolvimento da companhia pioneira nos visores de realidade virtual, anunciou no último fim de semana uma tecnologia que permite a projeção de imagens com múltiplos níveis focais simultâneos. Nomeado “Focal Surface Display”, o novo projetor cria uma distorção nas ondas de luz que acomoda de forma muito mais natural o conflito de convergência focal que causa dor de cabeça nos usuários.

A descoberta é importante, e a companhia não esconde a animação. No artigo científico produzido para explicá-la, que será publicado durante o evento SIGGRAPH neste julho, a Oculus detalhará o que você vê no vídeo abaixo:

Esses “monitores de superfície focal” (numa tradução livre) são inovadores porque alteram a forma da dispersão de luz dentro dos óculos, criando distorções que simulam diferentes distâncias para cada ponto da tela. A solução, produzida por um espelho entre a tela e a lente que expande a imagem, abandona a ideia de múltiplas telas com focos diferentes, como havia sido experimentado em outros aparelhos.

Ao invés disso, ela modula cada área de um único display para dobrar a óptica interna – algo como um origami de luz, com superfícies indo para perto e para longe.

A peça usada para isso é o grande segredo. Chamado de “modulador espacial de luz” (SLM), ela muda sua própria forma para alterar a imagem através da difração do próprio material.

Isso cria uma cena com imagens muito mais convincentes dentro do visor, porque força o olho humano a percorrer diferentes planos na busca por imagens bem focadas. A Oculus garante que, com a nova tecnologia, será capaz de criar cenas de distância e proximidade muito mais convincentes.

Apesar do grande avanço, a empresa ainda é conservadora no significado da descoberta. “Embora não seja uma correção perfeita para o conflito de acomodação de convergência focal, este avanço é um meio-termo entre os visores de hoje e um com propriedades ideais”, escreveram no blog oficial.

Compre a revista Mundo360
Acompanhe a Mundo360 no Facebook e no Twitter.

Gigantes de tecnologia formam a Global Virtual Reality Association (GVRA)

Por Pedro Zambarda, editor-chefe do Drops de Jogos e da revista Mundo360

Google, Oculus (comprado pelo Facebook), Samsung, HTC, Sony e Acer anunciaram nesta semana a criação da Global Virtual Reality Association (GVRA). Trata-se da formação de uma entidade com alguns dos maiores nomes do mercado de realidade virtual com a ideia de “desbloquear e maximizar o potencial da VR”.

A iniciativa abre espaço para a unificação de padrões tanto para hardware quanto para software, um desafio para o segmento que ainda não funciona entre o Oculus ou o Vive. É importante notar a ausência da Valve, responsável pela Steam store e pela plataforma SteamVR, no grupo.

Detalhes de ações futuras ainda devem ser divulgadas pelos envolvidos, mas mostram o potencial econômico e evolutivo em realidade virtual para futuros interessados. Se alguém tinha dúvida que VR iria emplacar, as dúvidas acabam agora.

Via IDGNow