Opinião: Rez Infinite vence como Melhor Realidade Virtual do The Game Awards, mas isso é pouco

Por Pedro Zambarda, editor-chefe do Drops de Jogos e da revista Mundo360

O The Game Awards (TGA), considerado como a principal premiação de jogos eletrônicos no mundo, ocorreu no dia 1º de dezembro. Overwatch foi o grande vencedor da noite, inclusive na categoria eSports. No primeiro prêmio da TGA para Realidade Virtual, levou Rez Infinite.

O jogo da Enhance Games venceu Batman: Arkham VR (Rocksteady Studios/Warner Bros. Interactive Entertainment), Eve: Valkyrie (CCP Games), Job Simulator (Owlchemy Labs) e Thumper (Drool). Encarou concorrentes de peso. Batman, por exemplo, foi um dos grandes destaque da Brasil Game Show (BGS) 2016 no nosso país junto com o PlayStation VR.

Rez é um remake de um railshooter de 2001 lançado pela SEGA no Dreamcast, um dos consoles pioneiros em conexão na internet. Ele traz uma inteligência artificial chamada Eden e coloca o jogador em ambientes coloridos para derrubar seus inimigos.

A ideia surgiu de Tetsuya Mizuguchi, de Xevious, e é um jogo que faz o player mergulhar graças aos seus efeitos sonoros desenvolvidos. A vitória do game no TGA mostra que a imersão venceu.

A falha da premiação, no entanto, foi o pouco espaço dado ao VR no evento. Nem Mizuguchi e nem a Enhance Games foram homenageados no palco.

A indústria de jogos, portanto, ainda não coloca a realidade virtual entre seus principais destaques.

Pokémon Shiny foi encontrado no código do game GO

Por Pedro Zambarda, editor-chefe do Drops de Jogos e da revista Mundo360

Pokémon GO guarda mais alguns segredos do que parece. O site Silph Road apurou informações nos códigos do jogo e encontrou algumas novidades bastante.

De acordo com eles, há Pokémon Shiny, monstros raros com coloração diferente, áudio dos próximos 100 personagens e diferença de gênero estão na condificação.

A customização de avatar do seu personagem será ampliada, com novos cabelo, camisas, calças, chapéus, sapatos, olhos e mochila encontrados. Os equips serão classificações como Novo, Promoção, Comprável e Desbloqueável nos Códigos.

Hoje o Buddy Pokémon pode ficar no chão, no ar e no ombro do treinador, dependendo do monstrinho. Segundo os mesmos códigos, uma nova posição será adicionada: “Baby”. Pichu, Togepi e outros da segunda geração serão considerados bebês.

Niantic pode estar trabalhando em roupas para Pokémon no futuro, com diferentes classificações. A primeira encontrada é “Holiday” (Feriado). Novidades podem chegar antes do Natal.

Via Jovem Nerd

Mais monstrinhos devem aparecer em Pokémon GO no dia 12 de dezembro

Por Pedro Zambarda, editor-chefe do Drops de Jogos e da revista Mundo360

A conta oficial da marca Pokémon no Twitter confirmou que Pokémon GO receberá uma atualização que adicionará mais monstrinhos ao jogo mobile no dia 12 de dezembro. Há boatos de que os Pokémon de Johto, famosos nos anos 2000, devem se somar aos 151 presentes na primeira leva do game.

A Niantic, empresa responsável pelo game, fez uma parceria com a operadora Sprint para transformas todas as suas lojas em PokéStops. Rumores indicam que a Starbucks fará uma ação similar, incluindo uma nova bebida comemorativa para o jogo, embora eles não confirmem os boatos.

A ideia das parcerias é reanimar o público e os bilhões de dólares que GO rendeu para a Niantic entre julho, agosto e setembro de 2016. O jogo recebeu dois prêmios no The Game Awards, o “Oscar dos jogos”: Melhor Game Mobile e Melhor Jogo Para Família. O game foi inovador em Realidade Aumentada para celulares.

Via Tecmundo

Evento anuncia DayDream como loja virtual e serviços do Google para VR e games

Por Kao Tokio, editor de conteúdo do Drops de Jogos e da Mundo360

O Google vem dando força total à tecnologia de 3D e realidade virtujal com novidades nos projetos da empresa. A mais recente investida do empreendimento na área é o anúncio do DayDream, que deixa de ser apenas um dispositivo para imersão em 3D (no caso, o DayDream View) e passa a ser tratado como um pacote de serviços online.

Foi o que se viu no Playtime, evento fechado da empresa que apresentou sua estratégia de ação para RA, RV e realidade mista. O DayDream, portanto, não será apenas a “máscara” para os celulares preparados para o aplicativo, mas uma loja virtual para experiências imersivas com games e outras soluções de entretenimento e serviço.

Os sistemas hoje já compatíveis com a novidade são YouTube, Play Filmes, Hulu, Netflix, Jaunt, HBO Now e games da desenvolvedora EA, que rodam na plataforma VR especialmente criada para os dispositivos com Android. A loja virtual oferece mais de 30 jogos produzidos para uso com o aparelho.
daydream-2
“O evento foi exclusivo para as empresas que tem parceria com o Google Play. A Carranca ganhou o Big Booth do BIG Festival 216, e aí enviou, no mesmo evento, os jogos para avaliação, pois o pessoal do Google estava lá”, comentou Raul Tabajara, desenvolvedor indie da Carranca Games, que esteve presente como um dos 100 convidados do evento. Raul explicou que passou nos testes e agora será acelerada na condição de parceira oficial do Google Play.

Além dos celulares do próprio Google, Pixel e Pixel XL, a empresa indicou uma lista de aparelhos de outros fabricantes também compatíveis com o dispositivo DayDream. A seleção de equipamentos pode ser visualizada no espaços dedicado ao VR do site.

Para Raul Tabajara, criador de games como Zumbi Olé e Kaiju, este último desenvolvido para uso de óculos de realidade virtual, o dispositivo de VR DayDream do Google é um dos melhores aparelhos apresentados na atualidade. “Vai bombar!”, exclamou.

Peronio Pop-up Book, jogo do OvniStudios, chega ao Gear VR

Por Pedro Zambarda, editor-chefe do Drops de Jogos e da revista Mundo360

Peronio, jogo do OvniStudios de Tiago Moraes, já estava disponível no Cardboard do Google e agora está disponível no Gear VR da Samsung. O Pop-up Book de profissões para criaças foi premiado pelo Vuforia Vision Award e foi finalista do BIG Festival e do Unity Awards.

O game é genuinamente de realidade mista, trazendo recursos de realidade virtual e aumentada dependendo dos usos dos smartphones. É possível mergulhar num cenário 3D ou ver diferentes profissões – como arqueólogo, médico e outras – através da câmera do celular, de cara com um livro.

Quer saber mais? Veja o vídeo do game. O anúncio foi no dia 22 de novembro de 2016.

Opinião: The Game Awards vai premiar realidade virtual e isso é importante para jogos

Por Pedro Zambarda, editor-chefe do Drops de Jogos e da revista Mundo360

Foram anunciados nestes dias os jogos finalistas do The Game Awards, a maior premiação de videogames que ocorre tradicionalmente no final do ano. O evento está marcado para o dia 1º de dezembro de 2016, às 23h30 no horário de Brasília.

A novidade deste ano são as categorias eSports e realidade virtual. Ou seja, VR tornou-se, de fato, uma categoria relevante dentro do segmento de videogames eletrônicos.

São cinco jogos finalistas: Batman: Arkham VR (Rocksteady Studios/Warner Bros. Interactive Entertainment), Eve: Valkyrie (CCP Games), Job Simulator (Owlchemy Labs), Rez Infinite (Enhance Games) e Thumper (Drool). É bom conhecer cada um dos produtos que estão sendo reconhecidos pela maior premiação do setor.

Arkham VR foi sensação na BGS 2016, maior feira de games brasileira, e coloca o jogador na pele do homem-morcego. Você se vê com a máscara do super-herói de Gotham City e mostra todo o potencial gráfico de VR num título mainstream. É um forte candidato a ganhar o TGA pela sua boa receptividade.

Em demo desde 2013, Eve era aguardado e chegou compatível com PSVR, Oculus Rift e HTC Vive neste ano. O jogo traz naves e conflitos de players contra players.

Job Simulator é literalmente um game em que você assume o papel do cozinheiro para entregar os pedidos para o garçom. Não traz os gráficos mais impressionantes em realidade virtual, mas tem um apelo grande no quesito diversão.

Rez revive um game do PlayStation 2 numa exploração em 360 graus com cores e gráficos diversos. O jogo traz uma ação ritmada.

Por fim, Thumper traz uma velocidade brutal e até terror num game também de ação ritmada. Ele compõe com Rez os jogos de exploração inicial da tecnologia VR.

Apesar de serem títulos de estilos limitados, realidade virtual mostra que veio para ficar entre os videogames. A TGA consagrará a tecnologia como um dos pilares de inovação nos jogos eletrônicos. E o reconhecimento nesta edição de 2016 mostra que este ano serviu para a consolidação do VR entre os consumidores finais.

Novidades grandes ainda virão em 2017 e 2018.

Confira quatro vídeos que abordam a cena brasileira de realidade virtual

Por Pedro Zambarda, editor-chefe do Drops de Jogos e da revista Mundo360

O site parceiro Drops de Jogos tem um programa de entrevistas que abordou realidade virtual em diferentes momentos. O Drops Debate entrevistou diferentes personalidades de VR no Brasil para entender sobre a tecnologia em nosso país.

Fábio Hofnik, organizador do evento BRVR, explica sobre sua carreira no cinema e nos registros 360 para abordar os diversos gadgets de realidade virtual e mista.



Pioneiro em disponibilizar uma casa arcade para VR, Leandro Sarubbi explica qual é o conceito por trás do estabelecimento VRGamer. Entenda como funciona a loja que permite o uso de realidade virtual por meia hora por R$ 15 em promoção durante dias de semana.



Rodrigo Arnaut, do Esconderijo das Crianças, fala sobre a gênese da revista Mundo360, pioneira em conteúdo e distribuição de cardboard em bancas do Brasil.



Rafael Ferrari e Gabriela Thobias falam como conheceram realidade virtual no Amazonas e hoje criaram a empresa Skullfish Studios em São Paulo.



Extra: Confira o Drops Debate sobre Pokémon GO.