Opinião: Rez Infinite vence como Melhor Realidade Virtual do The Game Awards, mas isso é pouco

Por Pedro Zambarda, editor-chefe do Drops de Jogos e da revista Mundo360

O The Game Awards (TGA), considerado como a principal premiação de jogos eletrônicos no mundo, ocorreu no dia 1º de dezembro. Overwatch foi o grande vencedor da noite, inclusive na categoria eSports. No primeiro prêmio da TGA para Realidade Virtual, levou Rez Infinite.

O jogo da Enhance Games venceu Batman: Arkham VR (Rocksteady Studios/Warner Bros. Interactive Entertainment), Eve: Valkyrie (CCP Games), Job Simulator (Owlchemy Labs) e Thumper (Drool). Encarou concorrentes de peso. Batman, por exemplo, foi um dos grandes destaque da Brasil Game Show (BGS) 2016 no nosso país junto com o PlayStation VR.

Rez é um remake de um railshooter de 2001 lançado pela SEGA no Dreamcast, um dos consoles pioneiros em conexão na internet. Ele traz uma inteligência artificial chamada Eden e coloca o jogador em ambientes coloridos para derrubar seus inimigos.

A ideia surgiu de Tetsuya Mizuguchi, de Xevious, e é um jogo que faz o player mergulhar graças aos seus efeitos sonoros desenvolvidos. A vitória do game no TGA mostra que a imersão venceu.

A falha da premiação, no entanto, foi o pouco espaço dado ao VR no evento. Nem Mizuguchi e nem a Enhance Games foram homenageados no palco.

A indústria de jogos, portanto, ainda não coloca a realidade virtual entre seus principais destaques.

Um comentário sobre “Opinião: Rez Infinite vence como Melhor Realidade Virtual do The Game Awards, mas isso é pouco

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s